4ª Vara do Trabalho de Anápolis tem aumento de produtividade

O desembargador-corregedor, Paulo Pimenta, o diretor da Secretaria da Corregedoria, Marcelo Marques, o juiz Renato Hiendlmayer e a equipe da 17ª VT de Goiânia

A correição realizada na 4ª Vara do Trabalho de Anápolis destacou o “considerável” aumento da produtividade em 2016, com índice de 104%, bem acima do aferido em 2015, que foi de 81%. O desembargador-corregedor, Paulo Pimenta, também ressaltou a “significativa” redução dos prazos médios de duração dos processos na unidade ao longo deste exercício, o que demonstra o comprometimento e operosidade dos magistrados Renato Hiendlmayer e Angela Belinski, titular e auxiliar, respectivamente.

 

Nesse sentido, ele acredita que até o fim do ano, o prazo médio da entrega da prestação jurisdicional nos processos submetidos ao rito ordinário deverá estar abaixo de 180 dias, prazo considerado razoável pela Corregedoria Regional.

Metas

 

A 4ª Vara do Trabalho de Anápolis conseguiu cumprir cinco das seis metas do CNJ em 2016. No atual exercício, foi parabenizada pelos resultados parciais obtidos no cumprimento das metas 1 (julgar o equivalente a 90% dos processos recebidos no ano – índice de cumprimento de 125,94%), 2 (julgar processos mais antigos – com percentual de 104,85%), 3 (aumentar os casos solucionados por conciliação – percentual de conciliação de 56,47%, acima da meta, que é de 54%), 6 (priorizar o julgamento de ações coletivas – com índice de 102,04%) e 7 (priorizar o julgamento dos processos dos maiores litigantes – percentual que chegou a 136,35%).

Advogados

Durante os trabalhos correcionais, o desembargador-corregedor recebeu a visita de vários advogados. Entre eles estavam Maurício Moreira Santos, representando a subseção da OAB em Anápolis, Sunaika Moura, presidente da Comissão de Direito de Trabalho da Subseção da OAB em Anápolis, e André Luiz Ignácio de Almeida, representando a Agatra. Na ocasião, eles reivindicaram melhorias e a revisão de alguns procedimentos adotados pelo juízo.