A única maneira de Temer deixar o Governo é o STF anular o impeachment

(Por Dilmar Ferreira) –

Quando você é dono de uma gleba de terra e ela é invadida, só tem um caminho legal: entrar na justiça e tentar a reintegração da posse de sua terra. Pois bem, a presidência da República foi conquistada nas urnas por Dilma Rousseff nas eleições limpas (conforme decidiu o TSE) de 2014. O seu mandato só termina no dia 31 de dezembro de 2018. Só que a presidência da República foi invadida depois de um golpe muito bem planejado pelo lado podre e mais corrupto dos políticos brasileiros, com o apoio irrestrito da grande mídia do país e com o acovardamento do Supremo Tribunal Federal.

Agora, a sociedade brasileira e a grande mídia deram conta de que o Governo Federal foi ocupado por uma quadrilha cujo principal objetivo é se salvar das garras da justiça e tentar a todo custo se perpetuar do poder, entregando as riquezas naturais do Brasil para os Gângsteres internacionais e para os banqueiros brasileiros que tiram mais de R$10 bilhões por trimestre do povo brasileiro através da prática de juros abusivos levando os meios produtivos da Nação a uma situação de total insolvência.

Agora, essas forças obscuras do Brasil tentam tirar o presidente e eleger indiretamente um novo fantoche para completar o mandato solapado da presidente afastada Dilma Rousseff. Essa gente só dispunha de uma bala na agulha para tirar o presidente ilegítimo Michel Temer do comando do Governo, que seria através do TSE. Michel Temer, com a ajuda do Ministro insubordinado Gilmar Mendes, conseguiu permanecer no Governo, impondo uma derrota naqueles que queriam ver o atual presidente longe do Planalto e se possível na cadeira.

Agora, restam duas oportunidades as quais não vão lograr êxitos. A primeira através do julgamento do presidente pelo STF. Ocorre que para o Supremo cassar Temer é necessária a admissibilidade por parte de dois terços da Câmara dos Deputados, onde quase a metade dos parlamentares precisa de Temer para mudar a legislação brasileira e acabar com a Lava Jato em todos os níveis do Judiciário. Em outras palavras: assim sendo, tanto através do Supremo como do impeachment os dois procedimentos serão barrados pela Câmara dos Deputados.

Resta um único caminho para o STF: promover a reintegração da posse da Presidência da República para o seu legítimo dono: Dilma Rousseff.

1 comentário


  1. Aí é pra acabar com os pequis de Goiás, ladrão por ladrão deixa o temer mesmo.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *