A violência denigre a imagem de Anápolis e o prefeito não faz nada

Getúlio Alves Barreto 25 anos – vítima de número 96 – assassinado na noite terça-feira (20) – Novo Jundiaí

Anápolis caminha para liderar os números dos assassinatos de Goiás, deixando Aparecida de Goiânia para trás e desmonta as promessas do atual prefeito de Anápolis que falou em interferir para que a segurança pública da cidade fosse melhorada de maneira rápida e eficiente. As promessas de Roberto do Órion não estão sendo cumpridas pelo prefeito Roberto Naves.

No ano de 2014, estatísticas oficiais mostram que foram 124 mortes por assassinatos na cidade. Já em 2017, em menos de seis meses, os assassinatos já chegam a 96 (até a última quarta-feira – 21). A continuar com esse índice de criminalidade, Anápolis fechará o ano de 2017 com quase 200 assassinatos. Com esse número, Anápolis, sem dúvida alguma, vai disputar o primeiro lugar entre as cidades mais violentas de Goiás.

Segurança pública é de responsabilidade do Governo do Estado, mas se o então candidato a prefeito Roberto do Órion prometeu resolver o problema, ele tem que agir e, até agora não desenvolveu nenhum tipo de ação para solucionar esse problema que vem impondo luto em centenas de famílias.

Sabe-se que o Governo do Estado vem deixando a desejar na questão da segurança, mas isso não anula a responsabilidade do prefeito, notadamente porque foi ele quem fez promessas nesse sentido. Diante das promessas, é necessário desenvolver ações concretas para minimizar essa situação que já começa a denigrir a imagem da cidade, que vem contabilizando números expressivos na questão e mortes violentas, dizimando jovens e enlutando seus familiares.