Cerimônia de transmissão de cargo ao novo Diretor Geral da Polícia Federal

Na manhã da última segunda-feira (20/11), foi realizada solenidade de transmissão do cargo ao novo Diretor Geral da Polícia Federal, Fernando Segovia. A cerimônia ocorreu no Palácio da Justiça com a presença do Presidente da República, Michel Temer, do Presidente do Senado Federal, Eunício Oliveira, do Vice-Presidente do Supremo Tribunal Federal, Ministro Dias Toffoli, do Ministro da Justiça, Torquato Jardim, do ex-Diretor Geral, Leandro Daiello, e de autoridades dos três poderes.

Lembrado em diversos momentos, o orgulho de pertencer à Polícia Federal foi demonstrado tanto nos discursos dos diretores quanto na confiança dos servidores do órgão que prestigiaram a cerimônia.

O novo Diretor Geral, Fernando Segovia, reafirmou sua postura de obedecer sempre estritamente as leis e a Constituição Federal, respeitando os direitos humanos e a independência no cumprimento do dever.

Segovia destacou que será necessária uma instituição forte, una e indivisível, com todos os seus servidores, os quais chamou de heróis anônimos: delegados, peritos, agentes, escrivães, papiloscopistas, administrativos e contratados. “Nesse espírito de equipe, todos unidos, que buscaremos o combate incansável à corrupção no Brasil, que continuará a ser agenda prioritária na Polícia Federal, tendo como premissa a continuidade de operações especiais”, pontuou o Diretor Geral.

Torquato Jardim ressaltou sua confiança profissional e pessoal irrestrita no novo diretor, enfatizando que temos o dever de “construir os meios que otimizem a obrigação comum única, qual seja, garantir a eficácia máxima da Constituição, seja ela norma, seja ela princípio, seja ela ética”.

Leandro Daiello, que acaba de se aposentar após exercer a função por quase 7 anos, agradeceu e prestou homenagem aos colegas e amigos que o acompanharam na jornada que se encerra: “Poderíamos passar horas falando das estatísticas: duas operações policiais por dia útil, das nossas aquisições (viaturas, aviões, helicópteros, equipamentos, armamentos etc), mas, na realidade, o grande patrimônio da Polícia Federal são os nossos servidores”.

Daiello desejou êxito a Segovia, reforçando que estará sempre pronto a ajudar e a trabalhar em conjunto pela Polícia Federal.

Carreira na PF

Há 21 anos na corporação, Fernando Segovia ocupou postos de relevância, tendo integrado o Comando de Operações Táticas (COT), além de atuar como superintendente da PF no Maranhão, adido policial na África do Sul e coordenador, pela PF, da Campanha do Desarmamento.