Dilmar Ferreira (escreve): O futuro do Brasil está envolto em uma nuvem negra e opaca

O Brasil estava dando certo e caminhava a passos largos para se transformar em uma potência mundial da paz. Em 2012, estávamos com pleno emprego, ou seja, o desemprego estava na casa dos 6%, que é normal nos países desenvolvidos. A miséria já estava sendo considerada como coisa do passado e o PIB dando salto um atrás do outro. Ao invés de pedinte do FMI, o Brasil se transformou em sócio majoritário daquele fundo. O Brasil era o carro chefe dos BRICS que acabava de fundar o seu próprio banco com capital de 100 bilhões de dólares. A balança comercial era superavitária mês a mês e as nossas reservas internacionais batiam à casa dos 400 bilhões de dólares. Havia superávit primário todos os meses e o Governo Federal começava a receber os bônus do PréSal.

Os índices apontavam para um Brasil potência e o programa Fome Zero ganhava o mundo. Estávamos a um passo de radicalizar a pobreza e a fome já era coisa do passado. Não havia recessão e a inflação absolutamente em controle. Havia corrupção, claro que sim e em que pais não a têm? Teríamos que lutar para reduzir a roubalheira, mas isso não pode ser feito no atacado, mas no varejo, com o fim da impunidade. A lei do colarinho branco acabava de ser sancionada pela então presidenta Dilma Rousseff e as instituições funcionando de tal modo que a Justiça colocou na cadeia figurões do Governo no chamado Mensalão. Foi dali que surgiu a ideia de que poderia fazer uma punição seletiva, tanto é verdade que o mensalão tucano foi poupado e só agora começa a ser desvendado.

Se o Brasil estava dando certo para a economia e para o social, isso não poderia ocorrer com os trabalhadores no comando do Governo e a elite iniciou o seu bote para tomar o controle político da Nação. Primeiro tentaram chegar ao poder pelo voto e não deram conta. Se tivesse ocorrido poderíamos estar sendo governado por um corrupto de tradicional família mineira, o mineirinho. Como não foi possível pelas urnas resolveram dar um golpe e a Lava Jato foi um instrumento fundamental para a tomada do governo. A Lava Jato iniciou colocando na cadeia gente do PT e preservando os tucanos e os ladrões da Câmara dos Deputados.

O primeiro momento da Lava Jato foi muito bom para os golpistas que enfraqueceu o Governo do PT. Em seguida, tomaram o governo e os golpistas assumiram o comando da Nação e agora a Lava Jato não prestava mais e teria que “colocar um fim nessa sangria”, como afirmou o senador Jucá. A Lava Jato não acabou ainda, mas caminha para o seu final. O juiz Sérgio Moro precisa ainda condenar o Lula em outras supostas acusações criminais.

Enquanto servia para o golpe o então deputado Eduardo Cunha, presidente da Câmara dos Deputados, foi aclamado pela multidão dos “coxinhas” na Paulista. Consumado o golpe, Cunha passou a ser um estorvo e foi defenestrado do poder e agora virou presidiário e condenado a algumas décadas de prisão. Michel Temer da mesma forma começou a ser um estorvo e vai ser tirado do poder ou pelo menos tentam tirá-lo à força, mas ele resiste porque assim como é um grande corrupto está sendo amparado por mais de uma centena de deputados que já deveriam estar presos. Estão trabalhando para aplicar um golpe nos golpistas sob o comando da golpista Rede Globo de Televisão. O que vemos agora é uma guerra entre os golpistas, com a finalidade de eternizar o golpe dos ricos, levando os brasileiros para a sua divisão original que de um lado estão os ricos e do outro o povo trabalhador e os miseráveis.

Os semáforos já estão abarrotados de vendedores pedintes e pedintes miseráveis. Para os “coxinhas”, essa convivência não é difícil porque os vidros de seus carrões estão sempre fechados para o mundo. A violência vai aumentar e as pessoas de bem vão cada vez mais ficar presos em suas próprias casas com medo de sair às ruas. O PIB já caiu e o desemprego bate no teto do mundo. A inflação está caindo porque ninguém tem mais dinheiro para o consumo. A fome já bate nas portas das casas dos trabalhadores desempregados, as filas dos hospitais estão aumentando, assim como as filas dos cemitérios públicos para o enterro dos mortos pela subnutrição. O Brasil está sendo contabilizado pela ONU como forte candidato no mapa dos países mais pobres do mundo. O dinheiro do “Bolsa Família” acabou e foi todo ele redirecionado para o Banco Itaú que recebeu um perdão de R$25 bilhões, o que daria para triplicar o programa de radicalização da miséria. Sim eles venceram. Os ricos vão ficar cada vez mais ricos e os pobres vão somar ao interminável exército dos miseráveis. É o Brasil da Ordem e Progresso! É o Brasil de volta à escravidão.

1 comentário


  1. Cadê o socialismo? Os “cumpanhero” estão tudo rico kkkk. Quanta hipocrisia!

Comentários encerrados.