MP e Judiciário mobilizados para implementar unidade para semiaberto e aberto em Anápolis

Reunião sobre projeto de engenharia

O Ministério Público e o Judiciário de Anápolis abriram, na última semana, mais uma roda de debates visando à implementação de estabelecimentos prisionais destinados ao cumprimento de penas em regimes aberto e semiaberto. Desta vez, a pauta de discussão esteve voltada para as especificações do projeto arquitetônico das unidades, que será elaborado pelo engenheiro Éden Albert Vigilato, que é servidor municipal e membro do Conselho da Comunidade e de Execução Penal, de forma voluntária.

Assim, foi convidado para o encontro, mediado pela promotora de Justiça Karina D’Abruzzo, o gerente de Engenharia e Arquitetura da Superintendência Executiva da Administração Penitenciária (Seap), Marcus Renato Patury, para que sejam observados os parâmetros para realização do projeto, especialmente quanto aos critérios e instruções técnicas para sua elaboração.

Conforme esclarece a promotora de Justiça, ela e a juíza Lara Siqueira pretendem obter extrajudicialmente solução para questão antiga na comarca que envolve a área de execução penal, que, inclusive, é objeto de ação judicial em tramitação. Um dos resultados dessa mobilização foi viabilizar a instalação de tornozeleiras no semiaberto de Anápolis (Leia no Saiba mais). Elas também estão empenhadas na implementação das unidades para o semiaberto e aberto, integrando os Poderes Executivos estadual e municipal para as ações necessárias. O grupo inclusive até visitou alguns terrenos que podem ser receber as obras e tem se reunido com frequência para os debates técnicos. (Cristiani Honório / Assessoria de Comunicação Social do MP-GO – Foto: arquivo da Promotoria de Justiça de Anápolis)