Muito prazer, eu sou o Roberto!

O atual prefeito de Anápolis fez sua campanha usando como seu sobrenome a marca de sua empresa, o Colégio Órion. Assim sendo ele não divulgou seu verdadeiro nome, mas o nome de seu colégio. A estratégia seria divulgar sua instituição particular, utilizando o horário eleitoral que é gratuito. Tática usada por outros antigos políticos, como foi o caso do Jamel Cecílio que fez propaganda para a Caninha Jamel. O pior de tudo é que o Roberto do Órion, hoje Roberto Naves, disse que não era político e que abominava as velhas práticas políticas. Veja bem, que no seu primeiro programa de televisão, teve a coragem de afirmar ser diferente, sendo que já usava até no nome uma velha prática política para auto beneficiar-se. Só que ele teve a sorte de não ter como concorrente outro candidato para desmascará-lo publicamente. Hoje, quem paga a conta é o povo que tem que aturar por quatro anos um administrador que pode entrar para a história como um dos piores prefeitos da cidade.

Se durante o processo eleitoral existisse um candidato capaz de mostrar quem era aquele que se autodenominava como o novo, a cidade poderia estar entregue a um prefeito que de fato pudesse ser não um novo, mas um administrador capaz de solucionar os problemas da população. Roberto do Órion mentiu para a população para eleger o Roberto Naves. O primeiro fez promessas que sabia que não seriam cumpridas, mesmo porque não existe esse tal de Roberto do Órion. O atual prefeito Roberto Naves não tem compromisso com a população porque em nenhum momento ele pediu voto para se eleger. Quem pediu foi um candidato fictício.

Como o prefeito é outro, não tem compromisso com a cidade e administra Anápolis obedecendo as ordens que vêm de Goiânia, onde está o verdadeiro administrador da cidade. Quem manda não aparece, mas dá as ordens e, aí do seu preposto se não obedecer! É por isso mesmo que em quatro meses a Prefeitura economizou mais de R$45 milhões. Mesmo com todo esse dinheiro em caixa a cidade padece com buracos, matagal, lixo nos bairros, trânsito caótico e uma saúde caindo aos pedaços. Perguntado o que ele iria fazer com esse superávit primário superior a R$45 milhões, o preposto afirmou que vai pagar as contas da administração passada, mas não enumera que conta são essas e quem as fez.

Mas por que Roberto Naves iria falar a verdade? Primeiro, não tem compromisso com ninguém porque ele jamais pediu voto para o povo anapolino. Quem pediu voto foi outro Roberto, talvez vindo da Constelação de Órion, que fica localizada sob no céu equatorial. É claro que o atual administrador da cidade, aquele que mora em Goiânia, já deve ter elaborado a lista dos credores que vão receber. Todo mundo sabe que as garras dos procuradores de Curitiba não chegaram a Goiás, assim como a caneta do juiz Sérgio Moro também nunca chegará a essas bandas. Enquanto muitos corruptos estão presos e sendo processados e condenados, a corrupção corre frouxa pelas mandas dos cerrados brasileiros e nem mesmo o Modus operandi dos corruptos desta parte do Brasil mudou ainda devido o grau de impunidade vivenciada por aqui. Por isso, tudo o que veremos nos próximos anos vai ser o dinheiro dos impostos entrando pelo ralo da corrupção.