Polícia Civil de Inhumas conclui inquérito da Operação Cela Livre e pede afastamento do diretor da unidade prisional

 

A Polícia Civil de Inhumas remeteu ao Poder Judiciário o inquérito policial referente à Operação Cela Livre, que culminou no indiciamento de dez vigilantes penitenciários temporários, do supervisor de segurança do presídio local, Romeu Carlos Pereira Filho, e do diretor da unidade, Igor de Oliveira Filho, pela prática, em tese, dos crimes de peculato, prevaricação e favorecimento real.

Segundo o delegado Humberto Teófilo, responsável pelas investigações, Igor foi indiciado pelos referidos crimes porque, mesmo ciente dos supostos atos criminosos, não tomou qualquer providência, configurando assim sua omissão no dever de agir. O delegado pediu ainda o afastamento cautelar de todos servidores envolvidos, inclusive do diretor da unidade.

A operação Cela Livre foi deflagrada no dia 6 de setembro, e cumpriu diversos mandados de busca e apreensão nas residências de vigilantes penitenciários e nas dependências da unidade prisional, para averiguação sobre supostas festas irregulares que estariam sendo realizadas no local. Na oportunidade, também foi cumprida a decisão judicial que afastou quatro servidores públicos de suas funções.

Segundo o delegado Humberto Teófilo, as provas na fase pré-processual demonstraram indícios fortes da existência de festas com a ingestão de bebidas alcoólicas promovidas no interior da unidade prisional, tendo a participação de reeducandos da cela livre, que dirigiam viaturas, utilizavam aparelhos celulares, provocando também o desvio de bens públicos.(Fonte: Polícia Civil)