Preso grupo suspeito de homicídio que planejava morte de advogado

 

Seis pessoas foram presas pela Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios, suspeitas de executarem Francisco de Assis Sena, no dia 21 de junho último, no Setor Esplanada do Anicuns, e de planejarem o homicídio do advogado Emerson Tadeu Vita, o qual ocorreria no mesmo dia da prisão de um integrantes do grupo, o qual participou do assassinato de Sena.

De acordo com as investigações, cujos resultados foram apresentados nesta quarta (20), no auditório da Secretaria de Segurança, Sena foi morto por engano, quando chegava a uma loja de compra e venda de veículos, de sua propriedade. Na ocasião, Matheus Sampaio Martins e Ítalo Daniel Policarpo de Souza, abordaram a vítima e a executaram. O alvo, porém, seria o irmão da vítima que, supostamente, estaria envolvido em disputa por ponto de venda de drogas.

Durante as diligências, restou comprovado que Matheus e Ítalo pertenceriam à organização criminosa liderada pelos presos John Key Pascoal Souza, vulgo “Bozo”, e Claudinei Rodrigues de Oliveira Santos, vulgo “Xaropinho”, os quais ordenaram e planejaram o crime de dentro do complexo prisional. Bozo teria assumido o comando da organização criminosa após a morte do traficante conhecido como Tiago Topete, dentro da cadeia.

Segundo o delegado Francisco Costa Júnior, as investigações comprovaram ainda que o grupo planejava matar o advogado Emerson Vita por achar que ele, supostamente, estaria envolvido na morte do antigo líder da quadrilha. Os responsáveis pelo assassinato seriam Matheus Sampaio, preso no mesmo dia em que executaria o homicídio do advogado, e Vítor Dias de Souza, outro integrante da quadrilha.

No decorrer das diligências, a Polícia Civil prendeu ainda João Pedro Ferreira de Souza, que ficou responsável por desfazer do veículo VW Voyage, utilizado no homicídio de Sena, e com quem o carro foi encontrado. A arma do crime foi apreendida em poder de Matheus. Todos os investigados estão presos temporariamente e serão indiciados pelo crime de organização criminosa. John, Claudinei, Matheus e Ítalo ainda responderão por homicídio qualificado.(Fonte: polícia Civil)