Primeiro leilão de veículos da frota do TRT18 resulta na arrecadação de R$ 220 mil

Interessados nos veículos do TRT18 lotaram o auditório da Secretaria de Licitações

O primeiro leilão realizado pelo Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região (Goiás) para alienação de 11 veículos com o intuito de reduzir a frota da Corte Trabalhista resultou na arrecadação de R$ 220.723,39. O leilão presencial foi realizado na tarde da última quarta-feira (4/10) no Fórum Trabalhista de Goiânia.

Na avaliação da diretora da Secretaria de Licitações e Contratos, Maísa Bueno, o leilão foi bem-sucedido, com a alienação de todos os veículos colocados para arrematação. “Conseguimos vender os carros a preços acima dos valores de avaliação. A procura foi maior do que esperávamos”, comemorou. O diretor-geral do TRT18, Ricardo Lucena, também ficou contente com o sucesso desse leilão inédito e disse que o Tribunal poderá estudar a realização de novos eventos assim futuramente.

Foram leiloados cinco carros Vectra 2008, um Fiat Fiorino Furgão 1997, uma Mercedes Sprinter 311 2002, um Ford Focus 2010, um Fiat Doblô 2011, um Fiat Fiorino 2006 e um Renault Megane 2006.

A intenção do Tribunal ao realizar o leilão era reduzir de 38 para 27 o quantitativo de veículos usados por desembargadores, juízes e servidores e, também, promover a renovação da frota com substituição dos atuais modelos, que apresentam desgaste pelo uso e alto custo de manutenção, por veículos novos mais eficientes e econômicos. A medida faz parte do projeto de gestão eficiente do sistema de transporte no TRT18.

Valor sentimental

Advogado Gustavo Otto e a diretora da Secretaria de Licitações e Contratos, Maísa Bueno. Ele comemorou a compra do Vectra que tem um significado especial

O advogado Gustavo Otto arrematou um Vectra 2.0 preto, ano 2008, com 53 mil quilômetros rodados, por R$ 20.100,00. Ele contou que pesquisou os preços de veículos similares no mercado e os encontrou com valores entre R$ 23 mil e 28 mil e com mais quilômetros rodados. Gustavo estava muito feliz com a aquisição. Além de ter feito um negócio avaliado por ele como muito bom, o carro escolhido trará lembranças do pai dele, já falecido e que teve um Vectra por vários anos. “Já dirigi muito o carro que pertencia ao meu pai e essa compra tem um valor sentimental grande”, ressaltou.

Wendel Franco