Roberto Naves perde o controle da administração Municipal e deveria renunciar

 

Atualização no texto 0,10 do dia 27 de junho de 2017

Para administrar uma cidade do porte de Anápolis o prefeito tem que ter pulso forte sem ser prepotente. Tem que saber escolher seus auxiliares, comandá-los e acima de tudo vigiá-los. Não pode transformar os cargos da Prefeitura em balcão de negócio. Tem que ter um convívio harmônico com a Câmara Municipal e manter contato republicano com os vereadores e com os demais órgãos públicos de todas as esferas do poder, mas em especial com os titulares dos cargos da Prefeitura. Comandar é acima de tudo orientar e vigiar. Mas parece que o prefeito Roberto Naves não foi capaz de colocar nada disso em prática.

Diante de tantos escândalos na política nacional, o mínimo que as pessoas esperam é que todas essas punições colocadas em prática pelos responsáveis pela Operação Lava Jato, tanto em Curitiba quanto em Brasília, é que os políticos corruptos pudessem mudar seus comportamentos criminosos e colocar em prática o mínimo de atuação honesta e que os mandatos eletivos passassem a ser uma oportunidade para servir à comunidade e não continuar sendo uma oportunidade única para roubar, corromper e pisotear sobre o já combalido mundo da política.

No entanto, os exemplos de punição que ocorrem com centenas de políticos, empresários e executivos à nível nacional, ainda não chegaram à Anápolis, onde estão acontecendo todo tipo de malversação do dinheiro público, com uso indevido de recursos públicos através de desvio de finalidade, como ocorreu recentemente com os recursos destinados à educação e que foram parar nas folhas de pagamentos da administração centralizada.

Mas em Anápolis a corrupção ganhou volume na atual administração Municipal com a utilização de métodos jamais vistos no mundo da política. Os repórteres do Jornal O Anápolis receberam uma denúncia que pode ser considerada como escabrosa e que foge à metodologia da corrupção feita através dos famigerados caixas dois e do recebimento e ou pagamento de vantagens indevidas, conhecidas como propinas. Em Anápolis pode estar surgindo um método muito diferente de corrupção e possivelmente jamais colocado em prática em qualquer outro município brasileiro. Trata-se da compra e venda de cargos públicos.

Uma denúncia que ainda estaria acobertada por interesses diversos vai ganhar corpo nas próximas horas porque a equipe do jornal O Anápolis está em campo em busca de documentos dando conta de que a Secretaria de Esportes da Prefeitura, onde este mesmo veículo denunciou a existência de servidores e até mesmo de diretores que ganhavam altos salários sem trabalhar, teria sido negociada por um vereador pelo valor de R$100 mil e que o titular da pasta teria entregue o cargo para o prefeito porque foi gravado por um empresário, cobrando pedágio com a finalidade de levantar recursos para efetuar o pagamento para o vereador que seria o dono do cargo, depois de negociação entre a legenda do vereador com o prefeito Roberto Naves. Nas próximas horas estaremos repassando mais detalhes inclusive com a divulgação do nome do vereador envolvido na trama. A denúncia em questão já estaria protocolizada no Ministério Público Estadual.

 

2 Comentários


  1. Anápolis está é precisando de um jornal ao porte de Anápolis. É triste ver uma cidade tao boa sendo tao mal representada por ”isso”, com notícias totalmente de SUA opinião quase que forçando os Anapolinos a idolatrar o PT, sério me deixa até triste ver o nome da nossa cidade no “seu” jornal.


    1. Monta um para você publicar o que você acha que está certo

Comentários encerrados.