Tribunal de Justiça devolve armas à Polícia Militar

O presidente doTribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO), desembargador Gilberto Marques Filho, autorizou, nesta quarta-feira (5), a devolução de 37 armas da Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO) que estavam em posse do Tribunal. Outras 63 armas serão devolvidas posteriormente, uma vez que ainda não foram identificadas ou fazem parte de processos que estão em andamento.

De acordo com o presidente, esta é a primeira etapa da devolução. A segunda será a entrega das outras armas que tem como origem a Polícia Militar e, em uma terceira, será feita a doação de armas apreendidas que estão no Poder Judiciário. “Por meio das varas criminais, nós temos um arsenal de armas de todo tipo e, dentre elas, aquelas que têm origem dentro da própria Polícia Militar, armas que foram furtadas ou apreendidas quando houve envolvimento de policiais em casos criminais. Nós já identificamos essas primeiras armas e estamos devolvendo, porque a coletividade precisa da sua policia bem preparada, bem armada”, disse Gilberto Marques Filho.

Ainda nesta quarta-feira (5), o Judiciário entregou 450 armas ao comando do Exército Brasileiro, para fins de destruição. Segundo o coronel Wellington de Urzeda Mota, assessor militar do TJGO, o Tribunal envia cerca de 500 armas por mês ao exército, aquelas que não serão devolvidas aos proprietário ou doadas à PM, para que sejam destruídas, como prevê o Estatuto do Desarmamento.

Estiveram presentes na reunião, além do presidente, o corregedor-Geral do TJGO, desembargador Walter Carlos Lemes; os juízes auxiliares da Corregedoria-Geral da justiça de Goiás, Sirley Martin da Costa, Murilo Vieira de Faria e Cláudio Henrique de Araújo Castro; o juiz auxiliar da Presidência, Ronnie Paes Sandre; o assessor militar do TJGO, coronel Wellington de Urzeda Mota; e o Comandante Geral da Polícia Militar do Estado de Goiás, coronel Divino Alves.

Ação integrada

De acordo com o coronel Divino Alves, a iniciativa tem uma importância capital e resultado de uma ação intregada da Secretaria de Segurança Pública, da PM e do TJGO. “Essas armas, assim que recebidas, serão encaminhadas ao nosso comando de apoio logístico para fins de manutenção e em seguida retornarão aos policiais militares para que possam ser utilizadas, portanto, extremamente importante a compreensão do Poder Judiciário na devolução dessas armas à instituição”, afirmou. (Texto: Gustavo Paiva / Fotos: Aline Caetano – Centro de Comunicação Social do TJGO)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *